Arquivo da categoria: Memórias de Aula

Compilação Filosofia: 18/04 a 11/07

Platão 

1ª navegação: conhecimento das coisas sensíveis/concretas (primeiro esforço mental)
2ª navegação: conhecimento das coisas abstratas/insensíveis
3ª navegação: Deus demiurgo (Deus plasmador)

*O acesso a 2ª navegação é através da razão (lógos/dialética)
Dialética= ideia/essência (ser da coisa)

Mito do Cocheiro

Em filosofia: ideia não é um pensamento, e sim o ser da coisa. Pensar na ideia é o mesmo que pensar na função/conceito da coisa.

Governo: sábios/filósofos (domínio/equilíbrio racional)

Guardião/soldado: classe militar (descontrole emocional)

Artesão: clase econômica (descontrole sensual/controle emocional)

Escravos: tem almas mas não participam por condições de natureza política

Aristóteles 

1. Conhecimento do mundo

Ideia (p/ Platão): recordar/relembrar
Abstração (p/Aristóteles): -vê antes e monta o conceito
– abstrai tudo o que você já tem em mente a respeito da coisa

A abstração nos permite analisar a substância da coisa. Para Platão a essência se encontra no mundo das ideias.

  • Acidente x Substância

Os acidentes não modificam a substância(essencial), por exemplo:  é acidental a cor do cabelo, ele permanece sendo cabelo independentemente de ser vermelho, preto, amarelo ou branco.

  • Ato e potência

A potência é uma ou mais possibilidades, presentes em um determinado objeto, de ser transformado em outro (exemplo: madeira, potência = mesa e cadeira)

O ato é a relização de uma potência (exemplo: espada é a potência do ferro colocada em ato)

@inaeodara13

Compilação Matemática: 31/05 a 13/07

Função de 1º grau

(Fonte: Só Matemática)

Função de 2º Grau

Funções Exponenciais

Página 3                                                                          Página 3

Numa inequação exponencial:
– conservamos a desigualdade entre os expoentes se a base for maior que 1 (exemplo 1)
– invertemos a desigualdade entre os expoentes se a base estiver entre o e 1 (exemplo 2)

@inaeodara13

Compilação História: 19/04 a 06/06

  • Formação dos estados nacionais

Diante do colapso do feudalismo, a Europa precisava se reorganizar. Dessa forma os europeus se organizaram nos Estados Nacionais.

Estado: território cercado por fronteiras e dotado de soberania.
Nação: grupo de indivíduos, conjunto humano que compartilha de tradições culturais comuns (língua, etnia, religião, educação…)

Na passagem da Idade Média para a Moderna, os principais Estados europeus se formaram, respeitando as nações existentes. Os principais estados unificados foram:
– Portugal (1139)
– Espanha (1142)
– Inglaterra
– França

As unificações ibéricas estiveram ligadas a expulsão dos “mouros” (árabes). Já a formação da Inglaterra e França foi atrasada pela ocorrência da  Guerra dos Cem Anos (1137-1453). Estes estados europeus adotaram a monarquia como forma de governo.

  • Características políticas dos Estados Nacionais Modernos

Os Estados Nacionais europeus possuíam monarquias cujas quais concediam poderes absolutos aos reis. Esta concentração de poderes pode ser justificada pela necessidade de uma liderança forte para amenizar a crise pós feudalismo. Para que pudesse governar, porém, os reis (de origem nobre) tiveram que conhecer o seus súditos. A sociedade possuía três categorias que sustentavam o poder real.

Apesar de terem o apoio da sociedade, os reis absolutistas usavam teóricos laicos para justificar os seus poderes.

THOMAS HOBBES: considerava o homem mau por natureza e que, por isso, seria necessário a existência de um rei absolutista. (Leviatã)

NICOLAU MAQUIAVEL: autor de “O Príncipe”, pareceu defender o absolutismo, tanto que, costuma se atribuir a ele a frase “os fins justificam os meios”. A sua obra, porém, era dirigida inicialmente ao príncipe de Florença a quem ele recomendava o autoritarismo a fim de unificar a Itália.

JEAN BODIN: apresentou a teoria da soberania. Para ele, a soberania era a “alma” de um Estado, era através dela que se justificava e se impunha a coesão política. A soberania era vista como perpétua e absoluta. Os governantes não poderiam estar submetidos a qualquer subjeção, inclusive a lei, ou seja, o soberano estava acima de tudo.

JACQUES BOSSUET: a partir do princípio religioso, o autor extraia exemplos bíblicos para justificar que o rei era uma escolha direta de Deus. Assim, o poder do rei tinha origem divina, constituindo o chamado direito divino dos reis.

 

  • Características econômicas dos Estados Nacionais Modernos

Durante a passagem da Idade Média para a moderna observou-se o aumento do volume das relações comerciais e, logo, o fortalecimento da burguesia. Com o aumento do comércio e com o advento do trabalho assalariado, o mercado consumidor ganhou força.

Durante a Idade Moderna, portanto, o capitalismo dava seus primeiros sinais de existência. Sendo assim, o rei (Estado) interferia nos assuntos econômicos de forma constante (controle dos impostos, de importações, permissões para comércio)

Quando os reis absolutistas interferiam na economia, estes esperavam a obtenção de lucro e pelo beneficiamento da produção nacional.
– Busca por uma balança comercial superavitária
– Patrocínio às viagens ultramarinas
– Incentivo à natalidade
– Definição de impostos para produtos importados

Apesar de terem adotado basicamente as mesmas práticas mercantilistas, os quatro estados nacionais aplicaram seus lucros de forma distinta.

 

A urbanização fez com que o homem moderno se desvincular-se do pensamento religioso medieval. Para estes homens, a Idade Média (relacionada as trevas) era desprezível por ser uma época em que o pensamento foi controlado pela igreja. Assim o grupo vanguardista buscou resgatar a cultura clássica (greco-romana) para moldar a Idade Moderna.

Baseados, portanto, na cultura greco-romana, os renascentistas aplicaram alguns valores às artes e às ciências.
– Classicismo (apego a cultura clássica)
– Racionalismo (valorização da razão)
– Humanismo (busca pelo conhecimento das ciências “humanas”)
– Naturalismo (associação do homem com natureza e a busca pelo conhecimento do corpo)
– Hedonismo (culto aos prazeres mundanos)
– Antropocentrismo (homem como centro das explicações)

Para os renascentistas esse era o homem:

  • Motivos do pioneirismo “italiano”

A Península Itálica abrigou, até o século XVI, o comércio das especiarias do Mediterrâneo e, por isso, teve contato com diferentes culturas (asiáticas e européias). Os artistas italianos contavam, ainda, com dois grandes grupos de mecenas.
– Alta burguesia (buscava status)
– Igreja Católico (buscava divulgar a arte sacra)

Apesar da aliança inicial existente entre a igreja, e os renascentistas, logo o clero percebeu o caráter antropocêntrico dos artistas que foram perseguidos. Além de tudo a Itália abrigava a antiga capital do Império Romano.

@inaeodara13

 

Compilação Biologia I: 08/05 a 05/06

Dinâmica de população e das comunidades

POTENCIAL BIÓTICO:  crescimento em potencial do número de indivíduos de uma determinada espécie. Esse fator depende exclusivamente da taxa reprodutiva da espécie, sendo então um valor utópico. 

CAPACIDADE LIMITE: número máximo de sustentação à uma espécie pela natureza, pode ser alterada por fatores humanos ou naturais.

RESISTENCIA AMBIENTAL: condições que impedem o crescimento de uma determinada espécie aos valores de seu potencial biótico.

CURVA S: é a de crescimento populacional padrão, a esperada para a maioria das populações existentes na natureza. Ela é caracterizada por uma fase inicial de crescimento lento, em que ocorre o ajuste dos organismos ao meio de vida. A seguir, ocorre um rápido crescimento, do tipo exponencial, que culmina com uma fase de estabilização, na qual a população não mais apresenta crescimento. Pequenas oscilações em torno de um valor numérico máximo acontecem, e a população, então permanece em estado de equilíbrio.

CURVA J:  é típica de populações de algas, por exemplo, na qual há um crescimento explosivo, geométrico, em função do aumento das disponibilidades de nutrientes do meio. Esse crescimento explosivo é seguido de queda brusca do número de indivíduos, pois, em decorrência do esgotamento dos recursos do meio, a taxa de mortalidade é alta, podendo, inclusive, acarretar a extinção da população do local.

Relações ecológicas são interações percebidas entre espécies e/ou indivíduos. Podem ser classificadas em:

– Harmônicas: não trazem prejuízo aos envolvidos
– Desarmônicas: trazem prejuízo a pelo menos um dos envolvidos

– Intraespecífica: entre indivíduos da mesma espécie
– Interespecíficas: entre diferentes espécies

Exemplos de relações harmônicas:

  • Mutualismo: benéfica para ambos os envolvidos (+/+). É obrigatória.
    Ex.: Alga e fungo constituindo os líquens.
  • Protocooperação: benéfica para ambos os envolvidos (+/+). Não é obrigatória.
    Ex.: Pássaro que come os carrapatos do boi.
  • Comensalismo: relação na qual há benefício para um dos indivíduos, porém para o outro é indiferente (+/°)
    Ex.: Rêmoras no tubarão.

@inaeodara13

Compilação Química: 23/04 a 06/06

Capítulo 12:  propriedades periódicas

  • Raio Atômico: quanto mais à direita e para baixo maior o raio atômico.

  • Eletronegatividade: tendência de um átomo em atrair elétronsOrdem decrescente de eletronegatividade: F>O>N>Cl>Br>I>S>C>P>H

  • Raio Iônico:

a. Para elementos que perdem elétrons, o raio diminui e para os elementos que ganham elétrons, o raio aumenta.

b. Para elementos isoeletônicos: quanto maior o número de prótons maior será a atração que o núcleo exerce sobre o último elétron e, consequentemente, menor o raio.

  • Energia de ionização: é a energia necessária para se retirar elétrons (um por vez) de um átomo gasoso e isolado.
    “A E.I. é inversamente proporcional ao raio atômico”

 Ligações químicas

Iônica:  interação eletrostática (entre cargas de sinais opostos)
– conduzem eletricidade quando dissolvidos em água, ou quando fundidos (sól⇨líq) ÍONS LIVRES
– estado físico: sólido (retículo cristalino), mas existem tambem alguns íons líquidos.

Molecular: um tipo de ligação covalente, ocorre entre ametais.
– compartilhamento de elétrons.
– não conduzem corrente elétrica, de maneira geral.
– estado físico: gasoso ou líquido (raramente pode vir a ser sólido)

 Ligações Moleculares


Para pequenas moléculas (até 5 átomos):

S imétrico
A polar
P olar
A ssimétrico
exemplo: HCl 

Para moléculas grandes (acima de 5 átomos): – a região que tiver carbono e hidrogênio apenas, pode ser classificada como uma região apolar.

– a região que tiver qualquer outro átomo sem ser carbono e hidrogênio pode ser classificada como polar

Grupos funcionais: Hidroxila -OH
Carbonila 

@inaeodara13

Compilação Física: 21/05 a 05/06

Peso (força vertical e para baixo) = massa . gravidade
O peso é uma força gravitacional 

Força normal é a “resposta da superfície”. É sempre perpendicular a superfície.

1ª Lei de Newton (inércia)

Se um corpo estiver em repouso ele tende a permanecer em repouso. Se estiver em movimento ele tende a “entrar” em MRU se, e somente se, a resultante das forças for nula. A massa é a medida da inércia.

Força de Atrito

Há três tipos de força de atrito:

É mais fácil manter a inércia do que quebrá-la, por isso a força de atrito estático máximo será maior do que a força de atrito cinético.

@inaeodara13

6 de abril de 2012 – História (Aula 28)

Crise do Feudalismo

O crescimento populacional associado a expansão das cruzadas gerou um grande desmatamento na Europa. Este contexto foi favorável à exposição de desequilíbrios ambientais registrados no século XVIII.

Faminta, a população européia se tornou mais exposta às epidemias tal como a peste negra que dizimou cerca de 1/3 da população européia.

Os servos sobreviventes (e agora descrentes) foram superexplorados e, por isso desejavam se mudar para as cidades. Neste contexto (século XIV) senhores e servos entraram em discordância, deflagrando as revoltas camponesas.

@inaeodara13

5 de abril de 2012 – Física (Aula 26)

Componentes vetoriais

Θ +  α = 90°
cos Θ = sen α
sen
Θ = cos α

cos Θ = Vx/V
sen 
Θ = Vy/V

Exemplo: 

@inaeodara13

 

5 de abril de 2012 – Biologia II (Aula 10)

Teoria da endossimbiose

Anotações pessoais: são características que permitem afirmar a teoria endossimbiótica:

  • DNA
  • SÍNTESE PROTEICA
  • AUTODUPLICAÇÃO
  • RIBOSSOMOS

A bactéria passa de heterótrofa(mitocôndria) para autótrofos (cloroplasto).

Mitocôndria: respiração celular – energia
Cloroplasto: fotossíntese – produção de glicose

@inaeodara13

 

5 de abril de 2012 – História (Aula 27)

A Baixa Idade Média e a Crise do Feudalismo (continuação)

Apesar de não ter reconquistado a Terra Santa, as cruzadas tiveram profundas consequências. Dentre estas podemos citar: a conversão/morte de infiéis, morte de alguns nobres, renascimento das cidades e do comércio.

Anotações pessoais: Na Guerra Santa houve uma forte influência na Península Ibérica. A inquisição fez parte da Guerra Santa.

@inaeodara13